5 de setembro de 2011

Segunda-feira

Monet
Segunda-feira, um milhão de coisas por fazer. Reorganização emocional, arrumação de gavetas internas: as do armário, as do escritório e as da intuição. O final de semana coroou a semana anterior, chegou cheio de si  com as suas regras, deixando claro que as resoluções seriam deixadas, sem sombra de dúvidas, para a tal segunda-feira, que é conhecida por ser o primeiro dia da semana,(por ordenação do trabalho e do lazer).
E  chega ela assim, sem cerimônia, amanhece cheia de claridade, impondo o mercado por fazer, a conta por pagar, o teste do filho, o médico a ser agendado, a conversa atravessada do final de semana a ser esquecida, o incômodo a ser encarado de frente, sem a cortina do sábado, sem a lua cheia da sexta-feira, sem a preguiça abençoada do domingo. A relação com a segunda-feira, no fundo, é  mesmo de amor.  O que seria do ser humano sem a chance de toda segunda-feira? É a hora de recuperar a rotina, de mover o pó que se acumulou no pensamento. Hora de tirar os óculos escuros. Me fizeram a proposta de não trabalhar às segundas-feiras. Disse não, obrigada. Se não tenho a segunda-feira para me cobrar a ordem, corro o risco de perder todo o fio da meada, interrompo  a possibilidade de  recomposição. É preciso ( re) iniciar a dieta, acordar mais cedo para o exercício de si mesmo e acertar as contas íntimas. Até para voltar a escrever precisei dela. De suas horas bem marcadas, de sua voz imaginária me lembrando de tudo aquilo que necessitava solucionar para manter a minha paz de espírito.
Hoje tem gente começando um trabalho novo, resolvendo se casar, se separar, querendo fazer um filho, mudando de país, salvando o sonho sabotado, se matriculando em academia, perdoando,  melhorando alimentação e saindo de depressão. Hoje é dia dela, da consciência despertada pela segunda-feira. Hoje é dia de mudança. Das pequenas mudanças essenciais à manutenção da rotina. Celebro esse dia porque ele, como nenhum outro, vem falar ao  ouvido e  puxar a orelha para que continuemos com a nossa intenção de felicidade. A felicidade nasce numa segunda-feira. A felicidade é semeada numa segunda-feira para ser colhida logo mais, no final de semana.

7 comentários:

  1. É bom ver que volta a escrever com a mesma tenacidade de antes. E, por falar nisso, quantas segundas-feiras mesmo tem o ano?....Bjs..
    Éder

    ResponderExcluir
  2. Umas 48 chances de recomeçar? rs

    ResponderExcluir
  3. VIVA SEGUNDA-FEIRA!!
    Esse texto deve ser exposto, gritado, cantado , entonado e publicado, para que tanta gente que perde o domingo maldizendo e malquerendo a tal, parem de perder tempo a toa!
    beijao jan, adorei

    ResponderExcluir
  4. Por Juliana Zamboni, via facebook.
    Estava justamente pensando o tanto que as segundas feiras tem sido dolorosas em minha vida.... Aí vem minha linda prima e escreve esse texto lindo. Obrigada Jan. Realmente é a vida me dando chance de recomeçar a cada semana.... ♥ ♥ ♥

    ResponderExcluir
  5. Nossa, que texto perfeito...obrigada, mudei toda minha concepção das segundas-feiras, tô até adorando elas agora! Bjos e amei!

    ResponderExcluir
  6. Rachel Semiramis, via facebook

    Como gostaria de ter escrito esse texto, Jan! Voce arrasa, menina!

    ResponderExcluir
  7. Ai filha minha,só uma alma sensível e nobre como vc para nos mostrar que "ela, a segunda" pode fazer sentido. Lindo! Fiquei orgulhosa! Continue a nos encantar!

    ResponderExcluir

Deixe a sua impressão!